Notícias dos Queijos...

domingo, 19 novembro 2017 00:39 Escrito por 

Concurso Queijos de Portugal 2017

Decorreu em meados de Outubro, novamente em Tondela, nas instalações da ControlVet, mais uma edição, a nona, do concurso 'Queijos de Portugal' organizado pela Associação Nacional de Industriais de Lacticínios, o maior realizado no nosso país, seja pelo número de queijos apresentados a concurso (197), seja pelo número de produtores presentes (55), seja pelo número de categorias avaliadas (21). Neste concurso, os queijos são avaliados por um alargado painel de provadores de experiência e méritos reconhecidos, de que orgulhosamente fazemos parte. Tivemos, dessa forma, a oportunidade - uma vez mais - de integrar um grupo de provadores conhecedores e exigentes, cada um com experiências e perspectivas distintas, permitindo uma avaliação dos queijos de forma muito criteriosa.

Mais uma edição em que o profissionalismo, personalizado na Maria Cândida Marramque (ANIL) e na Maria da Luz Ramiro (FullSense), imperou. E em que o suporte técnico da FullSense (e da ALS/Controlvet) e o suporte logístico dos alunos da Escola Profissional de Tondela fez, como sempre, com que aquela maratona se converta numa manifestação de eficiência, permitindo aos jurados exercer da melhor forma a sua obrigação de julgar, mas permitindo também um ameno convívio e troca de experiências. Como é sempre bom recordar, os produtores fazem chegar os queijos que inscrevem a concurso de acordo com os requisitos previstos em regulamento, permitindo comprovar não apenas as suas características (composição, data de fabrico,...),como o adequada inscrição nas categorias a que concorrem. Estes queijos não não deverão apresentar rotulagem, nem outras marcas identificadoras e, à entrada, a cada queijo é atribuída uma categoria e um conjunto de códigos (sempre diferentes e a utilizar nas diferentes fases da prova), terminando aí a identificação do queijo com a sua marca e fabricante. O júri, numa primeira fase, é dividido em subgrupos para se encarregar, de forma coerente, de avaliar todos os queijos de da cada uma das categorias. Na segunda fase, que decorre no segundo dia, todos os membros do juri são chamados a avaliar conjuntamente todos os queijos que ascenderam às finais das suas categoria (três por categoria). Os queijos são sempre provados dos sabores menos intensos para os mais intensos e nas mesas de trabalho dos provadores estão permanentemente disponíveis água, maçãs ácidas e tostas de pão branco, para permitir ‘limpar’ a boca entre provas. Assim, na edição de 2017, dos 197 queijos a concurso, cada membro do júri avaliou, em média, entre 110 e 120 queijos diferentes e da sua avaliação resultou a definição da lista de premiados de mais esta edição do concurso, cuja cerimónia de entrega de prémios decorreu a 30 de Outubro, na FIL, em Lisboa, integrada no programa oficial da primeira edição do ‘Grandes Escolhas - Vinhos & Sabores’. E são 21, tantos quantos as categorias, os queijos que vão poder utilizar na sua rotulagem e comunicação o selo ‘Prémio Melhor Queijo 2017 - Concurso Queijos de Portugal’. Em cada categoria foram ainda atribuídas duas menções honrosas, demonstrativas da sua elevada qualidade.
O objectivo primordial da ANIL, ano após ano, com a realização do Concurso ‘Queijos de Portugal’ reside em fomentar o desenvolvimento da indústria e melhorar o posicionamento dos queijos portugueses no mercado e, ao mesmo tempo, reforçar o reconhecimento deste produto junto do consumidor. Ainda a propósito desta edição do Concurso, o jornalista Edgardo Pacheco -que foi também membro do juri - escrevou um artigo sobre o mesmo, publicado na edição do passado dia 17 de Novembro do Jornal de Negócios, que pode LER AQUI !

 

Mais nesta categoria: « Notícias dos Queijos...
ATENÇÃO: Este site utiliza cookies, que usamos apenas para fins estatísticos, de forma a podermos melhorar a sua utilização.