DosQueijos... de Lá

domingo, 14 junho 2015 00:00 Escrito por 

Queijos de outras origens

DosQueijos… dá especial atenção aos queijos nacionais, mas está atento ao que de melhor se produz lá fora

Há queijos verdadeiramente deliciosos que são produzidos nos mais diferentes países. Os verdadeiros apreciadores podem preferir este ou aquele queijo, mas gostam de conhecer e experimentar o melhor que este universo tem para oferecer. DosQueijos… deixa-lhe algumas pistas sobre o que provar.

FRANÇA: Crottin de Chavignol (DOP)



Queijo de cabra produzido na zona centro-este do território francês, é um queijo cilíndrico, de crosta ligeiramente acastanhada e com denominação protegida (AOC|DOP) desde 1976. Com 60 dias de cura, para uma maturação perfeita, é produzido com leite cru e apresenta um paladar picante e uma textura macia, que se vai tornando mais dura, seca e quebradiça com a maturação. Pode ser harmonizado com vinhos tintos mais encorpados e vigorosos.

ITÁLIA: Fontina (DOP)

Queijo produzido com o leite cru de vacas da raça Valdostana, no Valle d’Aosta, no sopé dos Alpes italianos, e produzido desde a idade média. A sua casca é lavada, avermelhada e algo pegajosa e a pasta maleável e macia apresenta pequenos buracos e um paladar suave, mas com notas marcadas de frutos secos. É produzido em rodas achatadas que rondam os 10 kg e tem uma maturação mínima de 3 meses. Em Itália é muito utilizado na preparação de Funduta, um prato muito apreciado onde o Fontina é batido com ovos e natas e harmoniza bem com vinhos tintos encorpados.

ESPANHA: Cabrales DOP



Queijo azul, produzido nas Astúrias, é de fabrico artesanal e maturado, pelo menos três meses, nas grutas cheias de bolores da área dos Picos da Europa. Antigamente apresentava um revestimento produzido em folha de ácer. É produzido com uma mistura de leites crus de vaca, ovelha e cabra, sendo que a sua casa, macia e acinzentada, envolve uma pasta cremosa com cavidades irregulares e veios azuis. Tem um aroma forte, mas uma textura suave e a sua harmonização de eleição é a conceituada cidra asturiana.

REINO UNIDO: Yarg Cornish Cheese



Queijo produzido na Cornualha com leite de vaca não pasteurizado de vacas Ayrshire e Jersey, sendo que o queijo, logo depois de produzido é totalmente revestido com urtigas, as quais, com a maturação (12 semanas) vão formando um bolor que lhe dá a cor cinzenta com que chega ao mercado. A textura fina e quebradiça adquire um paladar fresco e cremoso, enquanto as urtigas conferem um toque de cogumelos. O Yarg derrete a baixa temperatura sendo muito usado para dar um toque especial a costinis, massas e gratinados e é bem harmonizado com cervejas leves e vinhos frutados.

SUÍÇA: Appenzeller



Queijo da zona suíça de Appenzell, nas colinas pré-alpinas, é produzido com leite de vaca pasteurizado e apresenta uma casca laranja acastanhada, muito aromática, resultante da sucessiva lavagem da crosta com uma mistura de cidra, vinho branco, ervas e especiarias, sendo posteriormente mergulhados, durante semanas, em salmoura. No final da sua maturação (seis meses, mínimo) tem notas a frutos secos e um final bastante picante, que se vai intensificando com a idade. Harmoniza com cidra, cerveja artesanal ou vinhos tintos encorpados.

ALEMANHA: Limburger



Queijo de casca lavada que era originalmente produzido na região belga de Limbourg, passou, em meados do séc. XIX a ser produzido na Alemanha, na região de Allgäu. A sua casca pegajosa castanho-alaranjada resulta da sua lavagem com bactérias especiais. A textura é macia e amanteigada e o paladar, apesar de suave, apresenta notas de campo e de carne. É muito utilizado na gastronomia, especialmente na Baviera, e acompanha bem com cerveja ou com cidra.

 

 

Mais nesta categoria: DosQueijos… de Lá »
ATENÇÃO: Este site utiliza cookies, que usamos apenas para fins estatísticos, de forma a podermos melhorar a sua utilização.